Maus

Maus

Capa Comum

296 páginas

Editora Quadrinhos na cia.

Publicado em 24 de Junho de 2005

Autor: Art Spielgelman

RESENHA

Maus é uma graphic novel escrita e ilustrada pelo cartunista Art Spiegelman publicada entre 1980 e 1991 e conta a história de seu pai Vladek Spiegelman que sobreviveu ao holocausto durante a segunda guerra mundial.

Através de uma série de entrevistas pessoais, facilitadas pelo seu filho Art, Vladek recorda a sua viagem de sobrevivência através de uma série cronológica de histórias. Ao longo do romance, Art alterna consistentemente entre o passado narrativo e o presente enquanto conduz entrevistas com o seu pai. Para retratar os personagens, Art ilustra os seres humanos como animais: os judeus como ratos, os nazistas como gatos, os americanos como cães e os polacos como porcos.

Inicialmente Maus foi publicado no Brasil em dois volumes pela editora Brasiliense, porém nesta edição em específico foi feito um compilado das duas edições em um volume único com as duas histórias: Maus I: A História de um sobrevivente e Maus II: E aqui meus problemas começaram.

Maus I: A História de um sobrevivente, concentra-se principalmente nas histórias da atual relação de Vladek Spiegelman com a sua atual esposa e na sua vida antes dos acontecimentos traumáticos do Holocausto. Especificamente, Vladek descreve a sua relação com a sua primeira mulher, Anja, e a sua vida juntos na Europa antes de ser enviado para campos de concentração.

Quando jovem, na Polónia, conhece Anja Zylberberg, por quem Vladek se apaixonou imediatamente, e com quem veio a se casar. O casal viveu uma vida rica e confortável em Sosnowiec, na Polônia, com o seu filho e a sua família. Mas depois começou a invasão nazista. Logo, os nazistas começaram a tirar os judeus de Sosnowiec de suas casas e de vários guetos. Para que o seu jovem filho não fosse enviado para campos de concentração, Vladek e Anja mandaram o seu filho primeiro filho Richieu embora com uma tia, mas infelizmente nunca mais o voltaram a ver.

Depois de mandarem embora o seu filho, Vladek e Anja passam o tempo fugindo, deslocando-se de um lugar para o outro em busca de segurança. Numa tentativa de encontrar asilo permanente, embarcam num comboio para a Hungria, que infelizmente era uma armadilha da Gestapo para capturar judeus. O casal é imediatamente detido e levado para campos de concentração separados.

Em Maus II: E Aqui Começaram os Meus Problemas, Art relata que ficou ansioso com a atenção esmagadora que a parte I da sua HQ recebeu e discute o assunto com o seu psiquiatra, Pavel, outro sobrevivente do Holocausto. Apesar do aviso de Pavel sobre os perigos de contar histórias do Holocausto, Art decide continuar as conversas com o seu pai numa cabana nas Catskills. Nestas entrevistas, Vladek começa a entrar nos detalhes da sua experiência do Holocausto, descrevendo encontros com fome, abuso e ansiedade. Embora as circunstâncias da estadia do seu pai em Auschwitz fossem horríveis, Vladek demonstrava consistentemente um sentido de desenvoltura e perseverança.

Ao longo da sua estadia, Vladek demonstra toda sua inteligência e perspicácia ao prestar vários serviços especializados como artesão, sapateiro e intérprete. Isso permitiu que ele evitasse ser selecionado para execução nas câmaras de gás. Enquanto negociava o seu caminho pelo campo, ele transmitia mensagens e reunia-se, em várias ocasiões, com a sua esposa Anja, que estava em outro campo de concentração, só para mulheres, próximo ao local onde ele estava. Embora estivessem fisicamente separados a maior parte do tempo nos campos de concentração, Vladek descreveu que, emocionalmente, estavam sempre um com o outro e proporcionou-lhes um sentimento de esperança de vida.

A medida que a guerra avançava, as forças alemãs começaram a enfrentar oposição, provocando a marcha de prisioneiros como Vladek a partir de Auschwitz, para esvaziar os vagões de comboio no interior do Reich. Embora já não estivesse no campo, continuou a enfrentar circunstâncias terríveis, incluindo a superlotação e o tifo, uma doença transportada por piolhos. Finalmente, a guerra termina e os sobreviventes do Holocausto são libertados, o que permitiu que Vladek e Anja se reunissem. Esta é a peça final da sua experiência que Vladek partilha com o seu filho Art no final da Parte II.

Em Maus, apesar da escrita e ilustração simples, Art consegue captar de forma única a natureza humana. O estilo singular de Spiegelman de retratar a história de seu pai e do holocausto faz como que para muitos Maus seja considerado é a melhor graphic novel já publicada. Inclusive vale salientar que em 1992, Maus tornou-se o primeiro graphic novel a ganhar o prêmio Pulitzer.

Se você ainda não leu Maus, recomendo fortemente que o faça o mais breve possível.

Nenhum pensamento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s